Salários de maio dos trabalhadores da Groundforce podem estar comprometidos

O Governo alerta que os trabalhadores da Groundforce podem estar em risco e não receber os salários de maio. Em causa está a situação financeira da TAP, que não permite continuar a ajudar a empresa de handling, disse o secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Hugo Santos Mendes, em entrevista ao programa Tudo é Economia, da RTP3.

“Vamos esperar que não cheguemos a uma situação em que o cenário de insolvência se possa colocar, mas o que podemos dizer é que a TAP não está em condições de ajudar mais a Groundforce. Isso é claro”, advertiu o secretário de Estado, garantindo, no entanto, que os salários de abril estão já assegurados.

A esperança reside agora nas negociações que estão a decorrer entre o acionista privado da Groundforce e um eventual novo investidor. “Os trabalhadores sabem que a TAP não vai auxiliar a Groundforce em maio, se for necessário, portanto vamos esperar que este processo de negociação entre a Pasogal e a essa entidade privada chegue a bom porto”, acrescentou.

O negócio estava bem encaminhado com a Atitlan, mas os espanhóis não gostaram de ver o caso tornado público e a situação está agora num impasse.

A Caixa Geral de Depósitos também já tinha negado à Pasogal um empréstimo de 30 milhões, por “falta de confiança” no acionista principal da empresa, Alfredo Casimiro, avançou a TVI.

O objetivo da Groundforce é fechar negócio até ao final deste mês e evitar um novo problema de tesouraria, caso contrário o Governo admite deixar a empresa entrar numa insolvência controlada.

Partilhe este artigo

Reply